sábado, 3 de agosto de 2013

A adoção e dovulação de crianças



A adoção e a devolução de crianças





Falar em devolução de crianças por muito tempo me assombrou, hoje entendo os "porquês",e consigo falar abertamente sobre o assunto.
Com a Nova Lei de Adoção, muitas coisas mudaram para o melhor de todos envolvidos no processo, hoje temos o direito ao período de convivência que é muito importante para a criança como para o pretendente, pois é nesta fase que chamamos de namoro,noivado e finalmente o casamento, é ter o direito de conviver com a criança e aprender a compreendê-la e dar a ela o direito de escolha, coisa que algum tempo atras não ocorriam, e que os números de devoluções eram gigantescos!!!
A criança que é devolvida sofre novamente o trauma do abandono e da rejeição. Entretanto gosto de avaliar num todo as causas da devolução, pois o sofrimento e a falta de maturidade adotiva de um adotante,por muitas vezes faz com que o mesmo, mude seu perfil radicalmente, para preencher o vazio,a lacuna, a simples vontade de ser pai, existem também equipes técnicas que por falta de preparação e engajamento na causa, não observam que alguns adotantes não estão preparados e aptos para aquela situação,o que também contribui e muito para a devolução,no entanto muitos adotantes não apresentam motivos satisfatórios o suficiente para tal ato, e acabam achando que a criança é um brinquedo e simplesmente a devolvem,como costumo falar existem casos e casos e não cabe a mim julgar e sim orientar.
Hoje os cursos preparatórios também exigidos por Lei, são muito importantes e auxiliam demais nesta decisão tão importante chamada ADOÇÃO!!!
É necessário a compreensão de que se a adoção for de uma criança maior ou grupo de irmãos,naturalmente será o encontro de duas famílias e que desafios poderão surgir, mas que isto não signifique um motivo de devolução e sim uma oportunidade de aprendermos e ensinarmos, que será uma realidade diferente, uma mudança em nossas vidas, mas que devemos deixar as idealizações de lado, preconceito e aprendermos a amar este filho incondicionalmente.
As consequências para os adotados, tanto para os adotantes envolvidos neste processo é um prejuízo enorme , pois o adotado perde novamente a confiança, a auto-estima e o trauma deste novo abandono, podem trazer a agressividade e a interiorização. Se faz necessário aceitar este filho que você acolheu por completo com suas qualidades, suas falhas, seus traumas, enfim, toda sua subjetividade, caso contrário tudo se tornaria muito difícil e turbulento, e aliás quem de nós é tão perfeito que não possa compreender tudo o que esta criança viveu? E quem de nós não seria capaz de construir uma nova história de vida?
Adoção é algo muito sério, levando em conta como se dá o processo de adoção aqui no Brasil e que etapas constituem processo de adoção: Cadastro nacional de adoção, período de adaptação, estágio de convivência, guarda provisória e por fim guarda permanente, além de grupos de apoio oferecidos, literatura, filmes, não existem mais razões de tantas devoluções. O correto é esperar todas as etapas acontecerem naturalmente, diminuir a ansiedade e evitar o que ocorre muito a idealização da criança pelos adotantes e a criança real com toda sua bagagem de vida. Acredito que as equipes técnicas também devam estar bem preparadas, antes de iniciar uma aproximação, deixar de ver a criança como um número de processo e sim como uma criança ou adolescente. Enfim, todos criam expectativas, o que gera também um sofrimento enorme.
Hoje, alguns juízes estipulam penas para quem devolver a criança, o que é muito justo, caso não exista um motivo muito real para tal ato; lembrando que a indenização não cobre a atitude desumana, o desprezo e as marcas só aumentarão a dor desta criança, e anularão por vez a confiança deste ser que já sofreu de mais. Cicatrizes na alma e no coração!

Abraços fraternos, Fernanda Benitez.

OBS: Lembre-se: A Adoção Legal e o tempo de espera, sendo respeitados, é sucesso nas Adoções!!! 
Instituições de acolhimento em conjunto com as VIJ ,também colaboram muito , para os sucessos nas adoções e famílias felizes.





4 comentários:

Miriam disse...

Um blog completo PARABÉNS!!

Camila Bueno disse...

O abandono para uma criança é realmente muito traumático, o abandono é uma violência psicologica que geralmente deixa sequelas incuráveis.
O estágio de convivência é um período muito significativo em que se consolida a vontade de adotar e de ser adotado e que deve ser acompanhado pela equipe judiciária.
São os casos de adoção mal sucedidas que levam um processo de adoçao a culminar na devolução.

Fernanda Benitez disse...

Mirian, muito obrigado pelo carinho!!! Abraços fraternos, Fernanda Benitez.

Fernanda Benitez disse...

Exatamente Camila Bueno, hoje temos o estágio de convivência , há alguns anos atras não existia preparo de qualquer espécie, por isto ocorriam muitas devoluções, justamente por adoções mal sucedidas!!! Abraços Fraternos, Fernanda Benitez.

Postar um comentário

Blog Widget by LinkWithin
 
BlogBlogs.Com.Br
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios e Costumizado por Letícia Godoy