quarta-feira, 21 de outubro de 2009

"Sobre Adoção e Casa das Fadas" (Ter Uma Criança Dentro de Casa)

Olá Amigos!!!

Trago hoje outra contribuição do meu querido amigo Danilo Donzelli do blog Pouco de Tudo.

Ele postou o texto no seu blog e eu gostei muito e resolvi pedir permissão para posta-lo aqui também e ele, carinhosamente como sempre, permitiu.

adocao_00000_3e3e3 

Por Danilo Donzelli

Ter uma criança dentro de casa é algo difícil, que toma tempo, muita paciência e às vezes uns puxões de orelha. Quando neste blog comento sobre a adoção tardia, falo sempre do amor, mas amor não é sinônimo só de coisa boa, imersa na paz. Amor é fazer cara feia, dar bronca, brigar e impor limites.
O que temos que ter em mente é que uma criança de abrigo, por mais bem cuidada que possa ser, perde sua individualidade, vive no coletivo e é tratada como as outras por funcionários, que em sua maioria não são treinados para isso, ou pior ainda, não tem paciência. Por isso não descobrem seu verdadeiro eu. São tratadas somente como mais um.
Sei de pessoas que trabalham em abrigos e não gostam de crianças. Os próprios abrigos em sua maioria, não estão preparados para receber crianças, não possuem um planejamento, nem programação para cuidar das crianças e manter sua individualidade. Não conheço muitos abrigos, mas daqueles que conheço, apenas um, localizado em São Paulo tem esse planejamento e programação, por isso as crianças estão melhores, tem certa auto–estima sendo melhor preparadas para o que lhes espera no futuro. Assim uma adoção tardia, não pode ser um ato, piegas com ilusões românticas, os pais adotivos devem estar preparados para uma batalha, tendo sempre em vista o amor que possam dar.

Conheço, também, pessoas que querem adotar, simplesmente por não conseguirem ter filhos naturais. Aí procuram uma criança que possa substituir a que não tiveram: querem bebês, branquinhos, sem irmãos. Isso não é adoção, é egoísmo. Adoção é ter um amor consciente e equilibrado, é realmente querer exercer a paternidade e a maternidade. Aí não importa as características do ser a ser adotado. Adoção deve ser um ato adulto, consciente, às vezes até altruísta, onde vai haver muitas dores e sofrimentos, daí a necessidade de conhecer e analisar o mundo em que vivemos.

Crianças que viveram na escuridão, foram maltratadas, são revoltadas e testam os adultos constantemente, neste sentido os pais adotivos, precisam ter conhecimento destes problemas e serem capazes de se comprometer com a criança que estão adotando, respeitando sua vivência, sua história, seu mundo, suas frustrações.

Quando escrevi o livro “A Casa das Fadas”, minha intenção era começar a mostrar esse problema. Como é um livro para crianças, enfocá-lo de forma simples para haver uma discussão, uma conversa, entre pais e filhos. Posteriormente, após sua publicação, pretendo analisar o problema de forma mais abrangente.

 

Danilo não vejo a hora de conhecer sua nova publicação, com o seu trabalho em abrigo acredito que seu novo livro ficará muito rico com suas experiências.

Obrigada pela contribuição

Beijinhos no seu coração 

beijinhossss

6 comentários:

walkyria.gianna disse...

Letícia querida, estou aqui. A mamãe ficou 30 dias no CTI e embora eu esteja sempre te espiando, as idéias não andão fluindo normalmente.
Adorei com letras maiúsculas este texto do Danilo por ser muito verdadeiro e prático. Criar, formar e educar filhos é uma tarefa que exige muito e o filho adotivo precisa ser mais bem cercado ainda. Há que se ter muito compromissso, responsabilidade, compreensão e por aí vai. Seria bom que todos os candidatos a adoção pudessem tomar conhecimento não apenas das histórias floridas. Bjs saudosos

Letícia Godoy disse...

Kyriaaaaaa amigaaaa,
Que bom que vc apareceu, estava com saudades.
Espero que sua mãezinha esteja bem agora, que Deus proteja ela e vc amiga.
Vc sabe que eu aqui tb faço o papel de advogado do coisa ruim rssss. Sempre tentando quebrar os mitos da adoção, mas tb mostrando que criar gente dá trabalho sim, mas isso faz parte.
Se a pessoa não quer ter "trabalho" que crie plantas, gatos, cachorros (se bem que dá trabalho tb rsss) mas é bem mais fácil.
Ahhhhh filhos, filhos, pq tê-los, mas se não tê-los como sabê-los!!!

Amiga desejo que tudo fique bem com sua mãezinha.
fique com Deus
Beijinhos no coração

Kyria disse...

Filhos são tudo de melhor que existe no muuundo!
Ser mãe e um privilegio.
Da trabalho, exige atencao 24 por dia durante 365 dias no ano, mas em compensacão o grau de felicidade, de coracão "cheio" e muito maior que o infinto. Somos escolhidas e honradas com a vinda dos nossos rebentos. Agradeco a Jesus esta oportunidade magnifica.
A mamãe continua hospitalizada e esta melhorando devagarzinho,beijos carinhosos e va me ver sempre ok? Obrigada

Letícia Godoy disse...

Kyria querida,

Concordo plenamente, vale muito a pena.
Tudo vale a pena quando a alma não é pequena, não é mesmo???

É assim mesmo amiga, aos pouquinhos, o importante é que está melhorando e tudo ficará bem.

Que Deus continue abençoando vcs
Beijinhos no coração
Vou te visitar agoraaaaaaaaaaa heheheheh

Giselda disse...

Concordo plenamente...Amar é tb impor limites,afinal estamos tentando passar valores que pra eles serão importantissimos.Sou avó e discordo dessa frase que costumam falar...Crianças criadas com vó,fazem de tudo...Errado quem pensar assim...amor não é isso!Amo meu netinho e tentarei fazer dele um cidadão do bem,sabendo seus direitos e deveres...Amei seu blog..Beijosssss Giselda

Letícia Godoy disse...

Olá Giselda,

Seja muito bem vinda.
Que bom que você tem essa conciência em relação ao seu netinho, tenho certeza que ele será um homem muito especial.

Volte sempre querida!!!

Beijinhos no seu coração

Postar um comentário

Blog Widget by LinkWithin
 
BlogBlogs.Com.Br
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios e Costumizado por Letícia Godoy