sexta-feira, 31 de julho de 2009

Opinião

 

Diante dos comentários recebidos aqui e por e-mail, eu vou dar minha opinião rssss mudei de idéia.

Eu não achei nada de demais na matéria, nem tão pouco que ela desestimule a adoção.

Primeiro porque quem está realmente decidido, que participa de grupos de adoção, lê e pesquisa sobre o assunto, nada lhe fará mudar de idéia.

E em segundo lugar porque a verdade precisa ser dita ou preferem achar que tudo será um mar de rosas? Não será, porque a vida não é um mar de rosas e muito menos um conto de fadas e todo mundo sabe disso.

A matéria trás questões reais, o que acontece, a vida como ela é. É dura, sim, pode até ser, mas não estão falando de casos fictícios e sim de casos reais, e não são 1 nem 2 são muitos e acontecem todos os dias.

As pessoas citadas na matéria não são nenhum Zé ninguém, são estudiosos do assunto ou lidam com essas situações diariamente. A matéria toca em várias feridas e acredito e peço que a olhem com reflexão e não só com criticas.

Publiquei-a, confesso, para provocar reflexões, e já imaginava o tipo de comentários que receberia.

Agora vamos deixar um pouco o emocional de lado e vamos ser racionais, ok? Vamos refletir os vários assuntos abordados:

Muitas pessoas acabam abrindo o perfil escolhido inicialmente por conta da demora em adotar. Não concordo com tal atitude, se você deseja um bebê espere e tenha o seu bebê. Fazer uma adoção tardia realmente não é para qualquer pessoa. Você tem que estar muito consciente para isso.

Minha opinião, ok? Não estou falando aqui que estou certa, que fique claro, mas na minha opinião adoção tardia é para quem já teve filhos, sejam eles biológicos ou adotivos.

Se você não tem filhos e mesmo assim pretende fazer uma adoção tardia, procure ajuda desde o inicio, peça orientação, procure ajuda profissional.

Com a nova lei a promessa é que o tempo para adoção seja reduzido, ok, isso é ótimo, mas o tempo de demora normal do processo se faz necessário, é o pré-natal, é o tempo que você terá para freqüentar grupos, ler, tirar dúvidas, conversar com outras pessoas que já tem a experiência da adoção, outras que estão na mesma espera como você. Esse tempo é de extrema importância, leve isso a sério, adoção é uma atitude muito séria, talvez uma das mais sérias que você terá na sua vida. É nesse tempo que você terá a consciência que realmente está preparado para o que vier ou que ainda não é a sua hora.

Estágio de convivência, outro assunto da matéria: é fundamental na adoção tardia. Você não pode esquecer que aquele abrigo, por mais que aos seus olhos não seja a oitava maravilha do mundo, é a casa daquela criança e as pessoas que cuidam dela e convivem com ela, são a sua família. Você gostaria de ser arrancado da sua casa de perto das pessoas que você gosta??? Acredito que ninguém gostaria de passar por tal situação. Você passou 1, 2...anos se preparando para receber essa pessoa, mas ela tem um mês para preparar-se para receber você.

Vocês conseguem imaginar o que eu estou tentando dizer??? Vc consegue imaginar o turbilhão de emoções que passam na cabeça dessa criança???

Nós temos que ser adotados por esse filho para que a relação comece a ser construída. Senão tudo cai por terra.

Trocar o nome de uma criança que já se reconhece por ele?? Vc já imaginou a crise de identidade que vc pode causar nessa criança? Assim como aconteceu com a da matéria?? Trocar pq o nome que vc escolheu é mais bonitinho é só pensar em vc, e se vc só consegue pensar em vc realmente meu amigo, não adote. Eu fico chateada qdo esquecem de acentuar o meu nome, imaginem trocar???

Outra questão é negar o passado da criança: vou tentar colocar em palavras o que a Soraya, presidente do grupo de apoio a adoção Aconchego (o qual freqüento) exemplificou de forma prática: A Soraya colocou uma menina na frente dela e um rapaz atrás da menina com a mão em seu ombro, ou seja, a menina estava de costas para o rapaz. A Soraya era a mãe adotiva, a menina a filha e o rapaz o passado dela. Então a menina perguntava a Soraya “tem alguém atrás de mim?” e a Soraya respondia, “Não”.

Resumindo: A filha sente que tem um passado (ele estava com a mão no ombro dela) e a mãe diz que esse passado não existe, nega o seu passado. Isso no mínimo é enlouquecedor. Vc sabe que tem um passado e a pessoa que vc mais confia na sua vida o nega. Na segunda parte da demonstração a Soraya mostra o outro lado da história, vira a menina para o rapaz e diz, “Sim, tem alguém atrás de vc e eu vou lhe mostrar quem é” virou- a para o rapaz e ficou atrás da menina. A menina ficou muito mais segura, pq atrás dela tinha a pessoa que ela confiava como proteção e a frente o seu passado que lhe foi mostrado por essa pessoa.

Espero que tenha conseguido traduzir em palavra esse exemplo que achei maravilhoso e que fez a diferença nesse último encontro que tivemos.

O ponto alto da matéria provavelmente foi ás devoluções, existem N motivos para devolução, cada caso é um caso, e deve ser tratado individualmente. É chocante, é. Mas será que é melhor viver onde não se é amado ou ir de volta para um abrigo e ter quem sabe a chance de conhecer outra família que realmente se adapte e queira essa criança?

O post já está ficando muito grande, ainda mais para quem nem iria dar sua opinião rssssss. Então vou encerrar por aqui dizendo para vcs utilizem essas informações, aprendam com elas, devore tudo sobre o assunto. Leia sim o lado B, vc tem que se preparar, e nós não nos preparamos sabendo só o lado A das coisas, também temos que saber que pedras existiram e se estamos realmente preparados para passar sobre as pedras.

Se vc leu e acha que ainda não é o seu momento? Pare, repense e lembre-se sempre, adoção é coisa muito séria.

Beijinhos no coração de todos vocês

2 comentários:

Andrea Marcondes disse...

Oi Lê, eu creio que a "intriga" foi mais sobre o título que soou um pouco pesado demais e por estar associado às mudanças que devem chegar com a Lei, como o "curso para candidatos à Adoção" que já era tempo de virar padrão nacional de exigência dos que desejam adotar, neh? Enfim, falar de Adoção sempre é polêmico, sempre causa divergências e vamos que vamos...rs...
Mas tudo o que se lê a respeito é válido, sempre!!!
Vc tem toda razão quando sugere a quem leu e sentiu dúvida a não iniciar essa joranda agora.
Amiga, aproveitando a visitinha básica...rsrsrsrs...indiquei seu Blog para o selo/prêmio "Vale a pena ficar de olho nesse blog", abaixo eu deixo o link pra vc conferir, ok?
Boa semana, abraços.
www.adotante.blogspot.com/meu-agradecimento.html
;)

Letícia Godoy disse...

Amiga seu link está com problemas, mas já consegui acha-lo no seu blog rssssss. Muito obrigada, você é uma amor.

É o assunto é polêmico mesmo, e cada um tem sua opinião e deve ser respeita. O importante é estarmos discutindo sobre o assunto, lendo, se informando e lutando pela causa.

Beijinhos no seu coração amiga

Postar um comentário

Blog Widget by LinkWithin
 
BlogBlogs.Com.Br
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios e Costumizado por Letícia Godoy